14 de Novembro de 2007 / às 11:33 / 10 anos atrás

Lucro do HSBC cresce no 3o tri, mas encargos sobem nos EUA

LONDRES (Reuters) - O HSBC, maior banco da Europa, informou que seu lucro no terceiro trimestre subiu em relação ao mesmo período do ano passado e que o crescimento da receita do grupo ajudou a compensar encargos maiores com dívidas de difícil recuperação nos Estados Unidos.

A instituição garantiu aos investidores que não está exposta a grandes dívidas em produtos financeiros relacionados a hipotecas e que está se beneficiando de uma ampla operação. As ações do grupo saltavam 3,62 por cento.

O banco não abre resultados trimestrais e não divulgará resultado anual antes de 3 de março de 2008.

O HSBC aumentou provisão para encargos com créditos duvidosos concedidos ao financiamento de consumidores dos EUA para 3,4 bilhões de dólares no terceiro trimestre. O valor é 1,4 bilhão de dólares maior do que indicavam tendências do primeiro semestre e refletiu a deterioração no mercado imobiliário de alto risco no país, nos últimos meses.

O diretor financeiro do banco, Douglas Flint, afirmou que o estrago dos encargos "se manterá elevado e pode aumentar" se o mercado imobiliário continuar a se enfraquecer, mas o banco disse que o panorama era "genuinamente incerto".

"Tem havido uma deterioração mais ampla do mercado de moradias e crédito associado, mas não creio que alguém saiba se atingimos o fundo do poço", declarou o presidente do conselho do HSBC, Stephen Green, a repórteres durante uma conferência.

Diferente das grandes baixas contábeis anunciadas por diversos bancos em Wall Street, a perda do HSBC está relacionada a hipotecas presentes em seus livros contábeis. O banco afirmou que está pouco exposto a títulos lastreados por hipotecas (CDO).

Rivais, incluindo Citigroup, Merrill Lynch e UBS, anunciaram cerca de 45 bilhões de dólares em prejuízos e baixas contábeis no mês passado depois que um derretimento no valor de títulos hipotecários afetou o mercado de CDOs.

Crescimento contínuo na região da Ásia-Pacífico, Oriente Médio e uma melhora no desempenho na Europa deram base ao crescimento do grupo e "reforçam os benefícios do balanço equilibrado do HSBC e fluxos diversificados de receita", informou o banco.

O crescimento das principais receitas do grupo no terceiro trimestre foi maior do que os 16 por cento relatados no primeiro semestre, e o aumento de custos foi moderadamente menor do que os 15 por cento apresentados no primeiro semestre, de acordo com o banco.

O HSBC, agora o maior banco do mundo fora da China depois da queda no valor de mercado de seus concorrentes, afirmou que "prosseguirá com sua estratégia de equilibrar os lucros com investimentos em mercados emergentes".

REUTERS RB AAJ

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below