Mercados da Ásia fecham em alta após dados positivos

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 07:59 BRST
 

Por Rafael Nam

HONG KONG (Reuters) - As bolsas de valores da Ásia subiram na quinta-feira, com o mercado em Tóquio apresentando sua maior valorização percentual diária em seis anos depois que um aumento inesperado nas vendas de varejo nos Estados Unidos e forte crescimento do Japão reduziram os temores sobre uma aguda desaceleração na economia global.

O índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico exceto Japão exibia forte alta de 3,8 por cento, o maior ganho numa única sessão desde os 5,1 por cento de 25 de janeiro. Apesar disso, o indicador acumula queda de mais de 13 por cento este ano até quarta-feira.

A bolsa de TÓQUIO disparou 4,27 por cento, aos 13.626 pontos, a maior alta percentual diária desde 2002. Na Coréia do Sul, a bolsa de SEUL subiu 4 por cento e em Taiwan, o mercado de TAIPÉ fechou em alta de 4,17 por cento.

"Bons dados econômicos dos EUA combinados com a percepção de que os mercados já atingiram suas mínimas estão animando o movimento de compra", afirmou Hwang Geum-dan, analista da Samsung Securities, em Seul.

Números mostrando um aumento nas vendas de varejo nos EUA no mês passado deram esperanças de que o maior destino das exportações asiáticas possa escapar de uma recessão, o que deu força para ações de empresas exportadoras, como a LG Electronics .

As bolsas de HONG KONG, ÍNDIA e CINGAPURA subiram mais de 3 por cento, enquanto XANGAI avançou pouco mais de 1 por cento.

A confiança de que as exportações da região irão se manter fortes foi fortalecida depois que o Japão anunciou que sua economia cresceu 0,9 por cento no último trimestre do ano, duas vezes mais que o esperado, impulsionada por vendas externas e investimentos.

"O crescimento do PIB mostrou que o a economia japonesa estava melhor do que todos esperavam, sugerindo que havia um excesso de pessimismo nas perspectivas", afirmo Koji Ochiaim analista sênior de mercado da Mizuho Securities.

Na Austrália o dia também foi de alta, com a bolsa em alta de 2,6 por cento, animadas pela divulgação da menor taxa de desemprego em 33 anos em janeiro.

REUTERS RB