March 14, 2008 / 8:54 PM / 9 years ago

BOVESPA-Medo de crash bancário nos EUA faz índice cair 0,46%

3 Min, DE LEITURA

(Texto atualizado com mais informações e fechamento oficial da bolsa)

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO, 14 de março (Reuters) - Um socorro emergencial para tentar salvar o banco de investimentos Bear Stearns BSC.N da insolvência ampliou o temor dos mercados globais de ações com os efeitos da crise imobiliária nos Estados Unidos e arrastou consigo a Bolsa de Valores de São Paulo nesta sexta-feira.

O Ibovespa fechou com desvalorização de 0,46 por cento, aos 61.990 pontos, depois de ter chegado a cair 2,52 por cento. O volume de negócios foi de 5,9 bilhões de reais. Ainda assim, o índice fechou a semana com alta de 0,2 por cento.

Apenas quatro dias depois de classificar como inverídicos os rumores de que enfrentava problemas de liquidez, o Bear Stearns admitiu o problema e foi alvo de um plano de ajuda do JP Morgan, em parceria com o Federal Reserve.

Após o Bear Stearns admitir que o pacote poderia não ser bem sucedido, suas ações chegaram a despencar 50 por cento. As agências de classificação de risco Standard & Poor's e Fitch cortaram as notas da instituição.

O banco foi um dos mais atingidos pela escalada de calotes no mercado de hipotecas de alto risco nos Estados Unidos.

No meio da tarde, por problemas de liquidez semelhantes, o Lehman Brothers anunciou um acordo de financiamento para receber 2 bilhões de dólares.

"Isso criou um efeito manada", disse André Querne, sócio-diretor da Rio Gestão de Recursos.

A essa altura, o efeito positivo criado com a notícia de que o índice de preços ao consumidor dos Estados Unidos ficou estável, e que de carona chegou a levar o Ibovespa para uma alta de 1,2 por cento, desapareceu por completo.

"O mercado está operando no curtíssimo prazo, movido mais por notícias do que por conjuntura", disse Ricardo Tadeu Martins, gerente de pesquisas da Planner Corretora.

As ações de siderúrgicas subiram ao longo do dia, protegendo a bolsa paulista de perdas ainda maiores. Os papéis ordinários da Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3.SA) avançaram 2,7 por cento, a 67 reais.

Um dos alvos da disputa pelos contratos de opções, que têm vencimento na próxima segunda-feira, as ações preferenciais da Vale (VALE5.SA) subiram 0,1 por cento, a 48,61 reais. As preferenciais da Petrobras (PETR4.SA), também alvo da briga por opções por serem os papéis mais líquidos da bolsa, perderam 2 por cento, a 76,74 reais.

Edição de Isabel Versiani

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below