Oposição protocola CPI dos cartões e insiste em dividir comando

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 14:05 BRST
 

BRASÍILIA (Reuters) - A oposição protocolou no Senado nesta quinta-feira o requerimento para a criação da CPI mista com o objetivo de investigar os gastos dos cartões corporativos do governo federal atingindo os governo Lula e Fernando Henrique Cardoso.

O pedido recebeu 189 assinaturas de deputados (eram necessárias 171) e de 35 senadores (27).

Apesar da formalização, os oposicionistas continuam defendendo que o controle da CPI seja dividido com o governo.

Segundo o líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), "a oposição se reserva o direito de pedir uma outra CPI caso o governo não ceda".

"O DEM confia no bom senso do governo de repartir o comando de uma investigação que afinal de contas pode ou não atingir a administração passada", disse o senador José Agripino Maia (RN), líder do DEM.

O ex-presidente FHC enviou carta ao PSDB. "As poucas despesas cuja publicidade podem afetar realmente a segurança das pessoas são submetidas aos órgãos de controle contábil do governo e sob condição. Não há razão para que o Congresso deixe de tomar conhecimento delas", disse FHC na carta.

(Reportagem de Carmen Munari; Edição de Mair Pena Neto)