JURO-Taxas têm leve alta na BM&F, em ajuste após queda recente

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 16:23 BRST
 

SÃO PAULO, 14 de fevereiro (Reuters) - A maioria das projeções de juros terminou a quinta-feira com discreta alta, fazendo uma pausa após o forte recuo dos últimos dias.

Dados favoráveis de inflação em janeiro e no início deste mês patrocinaram a queda dos principais contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) esta semana. O movimento fez com que investidores reduzissem drasticamente as apostas em um aumento da Selic ao longo do ano.

O DI abril de 2008 --que embute as projeções para a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom)-- terminou estável, a 11,14 por cento ao ano.

O DI janeiro de 2009 caiu levemente, de 11,70 para 11,69 por cento ao ano.

A partir de abril de 2009, quase todos os contratos negociados subiram. O DI janeiro de 2010 avançou de 12,35 para 12,38 por cento.

TÍTULOS PÚBLICOS

O Tesouro Nacional vendeu 6,5 milhões de títulos prefixados, entre LTN e NTN-F.

Foram negociados 1 milhão de LTN com vencimento em outubro pela taxa máxima de 11,48 por cento, 4 milhões de LTN para janeiro de 2010 a 12,415 por cento, 500 mil NTN-F com resgate em 2017 a 12,63 por cento e 1 milhão de NTN-F para 2012 a 12,56 por cento.

O Banco Central recolheu 13,04 bilhões de reais das instituições financeiras por um dia, a 11,20 por cento ao ano.

(Por Daniela Machado; Edição de Cláudia Pires)