Unidades no exterior garantem crescimento do lucro do Marfrig

quarta-feira, 14 de maio de 2008 10:32 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Marfrig, um dos maiores frigoríficos de bovinos do Brasil, anunciou nesta quarta-feira lucro líquido de 25,1 milhões de reais no primeiro trimestre de 2008, alta de 29,1 por cento ante o mesmo período de 2007, com o bom desempenho exportador de suas unidades no exterior.

Já o Ebitda (lucro operacional antes das despesas financeiras, impostos, depreciação e amortização), um importante indicador do fluxo de caixa, foi de 127,3 milhões de reais no mesmo período, aumento de 71,8 por cento ante o mesmo trimestre do ano passado.

A receita líquida do grupo foi de 1,067 bilhão de reais no primeiro trimestre de 2008, alta de 60,9 por cento, com as vendas de carne in natura respondendo por 71,9 por cento do total.

"Em um ambiente em que o Brasil teve restrições à exportação para a Europa, a estratégia de diversificação geográfica do Marfrig beneficiou o desempenho de vendas", afirmou, o diretor financeiro e de Relações com Investidores do Marfrig, Ricardo Florence, de acordo com um comunicado ao mercado.

Desde o início do ano, o Brasil enfrenta restrições para exportar carne in natura para a Europa, o mercado que compra os cortes mais nobres e paga os melhores preços pelo produto.

Mas, com unidades na Argentina e Uruguai, a empresa conseguiu contornar o problema.

"Graças à sua flexibilidade operacional, o Marfrig seguiu a estratégia de abastecer seus clientes europeus por meio da Argentina e Uruguai. Como resultado desta estratégia, a União Européia continuou sendo o principal importador do Marfrig com 52,1 por cento das vendas, seguida pela Rússia, que representou 15,4 por cento das vendas ao mercado externo da empresa."

Além disso, informou a empresa, a adição de produtos processados e industrializados nas unidades da Argentina, Brasil e Uruguai, com maior valor agregado, e a elevação de preços no mercado internacional de carne bovina contribuíram para o aumento de receita.

Segundo o diretor, o resultado do trimestre foi também influenciado positivamente pelo mercado doméstico brasileiro aquecido.

No primeiro trimestre do ano, o Marfrig investiu 109,5 milhões de reais, dos quais 97,8 milhões de reais destinados a aquisições de empresas no Brasil e no exterior, contra mais de 1 bilhão de reais em todo o ano passado.

(Por Roberto Samora)