No Brasil, Merkel se diz disposta a cumprimentar Chávez

quarta-feira, 14 de maio de 2008 19:32 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - A primeira-ministra alemã, Angela Merkel, minimizou na quarta-feira em Brasília uma rixa com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e disse que será capaz de lidar com ele sozinha e que irá cumprimentá-lo na cúpula desta semana no Peru.

Na semana passada, Chávez disse que Merkel era descendente política de Adolf Hitler, por ter pedido aos líderes latino-americanos que se afastassem dele.

A primeira-ministra, que participa de uma cúpula entre líderes da União Européia e da América Latina nesta semana em Lima, disse que vai ser amistosa com todos os participantes, entre os quais supostamente estará Chávez.

"Certamente vou cumprimentar todos de forma cortês", disse ela em entrevista coletiva ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"O presidente Lula pode relaxar: eu posso cuidar de mim mesma", disse ela, quando questionada sobre se Lula poderia ajudar a aparar as arestas.

Chávez foi menos conciliatório, dizendo que Merkel chegou na América Latina "atirando pedras".

"Ela veio atirando pedras para cá, não sei as razões", disse Chávez em um ato com o primeiro-ministro português, José Sócrates, em um campo petrolífero na Venezuela.

A chancelaria venezuelana acusou na terça-feira a Alemanha de interferência e disse que a Venezuela não é um fator de perturbação na América Latina, na Europa ou no mundo.

"Se eu conheço bem o Chávez e a Merkel, eles vão sentar, tomar um café e a paz vai reinar", disse Lula.   Continuação...