CÂMBIO-Dólar segue tensão externa e passa a operar em alta

sexta-feira, 14 de março de 2008 11:00 BRT
 

SÃO PAULO, 14 de março (Reuters) - O dólar operava em alta nesta sexta-feira, seguindo de perto a volatilidade global após números surpreendentemente baixos sobre a inflação nos Estados Unidos e a notícia de que a situação de um importante banco de investimentos se deteriorou significativamente.

Às 10h58, a moeda norte-americana BRBY subia 0,24 por cento, a era cotada a 1,696 real.

A inflação ao consumidor nos Estados Unidos ficou estável em fevereiro, pegando de surpresa o mercado. Analistas ouvidos pela Reuters esperavam aumento de 0,3 por cento do índice. Após a divulgação do dado, o dólar deixou de operar em leve alta e chegou a cair quase 1 por cento.

Mas pouco depois o banco de investimentos Bear Stearns BSC.N anunciou que sua posição de liquidez piorou muito nas últimas 24 horas e tornou necessário um financiamento emergencial do Federal Reserve de Nova York e do banco JPMorgan Chase.

O Bear Stearns ressalvou, contudo, que não pode assegurar que qualquer alternativa estratégica seja bem-sucedida. As ações da instituição despencavam em Nova York.

A notícia mudou o ânimo do mercado, e colocou as bolsas de valores em território negativo. É isso que influenciava o dólar, segundo Mario Battistel, gerente da Fair Corretora.

O movimento é parecido com o de quinta-feira, quando a volatilidade externa provocou a alta de mais de 1 por cento da moeda norte-americana. Em meio à turbulência, os estrangeiros se desfizeram de mais de 3 bilhões de dólares em posição vendida em dólar no mercado futuro --desmontando a aposta na queda da taxa de câmbio.

De acordo com dados da Bolsa de Mercadorias & Futuros, os estrangeiros carregavam posição comprada de 1,05 bilhão de dólares no final de quinta-feira.

(Por Silvio Cascione; Edição de Alexandre Caverni)