Bolsas da Ásia têm pior nível em 2 anos por setor financeiro

terça-feira, 15 de julho de 2008 08:04 BRT
 

Por Kevin Plumberg

HONG KONG (Reuters) - As principais bolsas asiáticas fecharam em queda nesta terça-feira, recuando para os piores níveis em dois anos à medida em que a confiança do investidor diminui perante o setor financeiro da região, que enfrenta inflação, ambiente de crédito restrito e forte volatilidade vinda dos mercados internacionais.

Grandes bancos no Japão, maior economia da Ásia, possuem aproximadamente 4,7 trilhões de ienes (44,3 bilhões de dólares) em dívida emitida pelas financiadoras imobiliárias norte-americanas Fannie Mae e Freddie Mac, cujas ações despencaram na semana passada por temores de solvência, afirmou um artigo nesta terça-feira, acrescentando mais temores sobre as ações.

O apetite ao risco dos investidores foi drenado ainda por uma mudança no foco das instituições financiadoras muito grandes, que acredita-se não poderem falir, para as pequenas o bastantes para entrar em colapso.

"A confiança está muito frágil", afirmou Louis Wong, diretor de pesquisa na Phillip Securities em Hong Kong. "Os investidores estão preocupados de que possa haver mais falência de bancos, especialmente bancos pequenos nos Estados Unidos. Sempre que ocorre esse tipo de turbulência financeira, o setor bancário é atingido."

Às 7h48 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico exceto do Japão apresentava desvalorização de 3,09 por cento, a 404 pontos, pior nível desde 2006.

O índice Nikkei da bolsa de TÓQUIO recuou 1,96 por cento, a 12.754 pontos, pior nível desde 1o de abril.

As ações do maior banco japonês, o Mitsubishi UFJ Financial Group, despencaram 5,3 por cento e o Mizuho Financial Group, segundo maior banco, caiu 5 por cento depois que o jornal Nikkei afirmou que estes bancos tinham algumas das maiores exposições do Japão em débito emitido pela Fannie Mae e Freddie Mac.

O índice Hang Seng, da bolsa de HONG KONG, perdeu 3,81 por cento, aos 21.174 pontos, com o HSBC, maior banco da Europa, derrubando o índice novamente pelo segundo dia consecutivo   Continuação...