JBS tem perdas com câmbio e Argentina, onde produção pode parar

quinta-feira, 15 de maio de 2008 13:52 BRT
 

Por Roberto Samora

SÃO PAULO, 15 de maio (Reuters) - O JBS (JBSS3.SA: Cotações), maior produtor e exportador de carne bovina do mundo, teve prejuízo de 6,6 milhões de reais no primeiro trimestre de 2008, afetado principalmente pela variação cambial sobre investimentos em moeda estrangeira e também devido às perdas decorrentes da proibição das exportações de carnes na Argentina.

Além de Brasil e Argentina, o grupo brasileiro tem unidades nos Estados Unidos, Austrália e na Itália.

"Hoje, temos 1,5 bilhão de dólares investidos no exterior. A cada 10 centavos que o dólar se movimenta contra o real, isso representa 150 milhões de reais", exemplificou a jornalistas o presidente do JBS, Joesley Mendonça Batista.

"Se o dólar andar 10 centavos negativos, seguramente no próximo trimestre registraremos mais um prejuízo de 150. E o oposto é verdadeiro, se o dólar andar 10 centavos para cima, fechar a 1,80 (real), vamos registrar 150 de lucro", acrescentou.

Ele lembrou também que, quando as outras aquisições do JBS nos EUA forem concluídas (National Beef e Smithfield), o investimento externo saltará para 3 bilhões de dólares e o impacto cambial pode dobrar para mais ou menos.

Diante disso, ele declarou ter afirmado em reunião com uma alta autoridade do governo brasileiro que o país não está preparado para ser sede de multinacionais. "Toda legislação é estruturada para um país que está sendo comprado."

No primeiro trimestre do ano passado, quando ainda não havia operações nem nos EUA nem na Itália (Inalca), o JBS teve lucro de 10,6 milhões de reais, contra prejuízo de 136,1 milhões de reais no quatro trimestre de 2007.

Mas, segundo ele, o problema do veto às exportações da Argentina, onde a empresa tem cinco unidades de produção, também teve impacto direto nos resultados.   Continuação...