Petrobras diz que produção está totalmente normalizada

terça-feira, 15 de julho de 2008 11:20 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras informou que a produção de petróleo na bacia de Campos, no Rio de Janeiro, já está totalmente normalizada nesta terça-feira, o segundo dia de greve dos petroleiros.

"Já atingiu os 100 por cento", disse um assessor da estatal.

A empresa disse que o Plano de Contingência adotado nas plataformas de produção foi bem sucedido e que continuará até o final da greve, previsto para sexta-feira.

Nesta terça-feira, a Federação Única dos Petroleiros (Fup) decide se vai aderir ao movimento iniciado pelo Sindicato dos petroleiros do Norte Fluminense na segunda-feira.

A Fup reivindica maior participação dos empregados no lucro da empresa e mais segurança no trabalho. Já o sindicato luta para que a Petrobras considere o dia do desembarque do trabalhador da plataforma como dia de trabalho e não folga, como é atualmente.

Depois de terem falhado na tentativa de redução da produção de petróleo, que chegou a cair 16 por cento na parte da manhã de segunda-feira mas já fechou o dia com capacidade de 96 por cento, os petroleiros pretendem fechar as refinarias da companhia, o que poderá ter reflexos no abastecimento do país.

"Nós sabemos o potencial dessa parada e o impacto que teve e que está tendo dentro da companhia...a empresa conseguiu retomar a produção, mas com uma segurança precária, é um risco potencial", disse o coordenador da Fup Hélio Seidel antes da assembléia.

Segundo o sindicato informou na terça-feira, plataformas que possuem equipes de 25 pessoas estão sendo operadas por sete pessoas.

Segundo uma fonte da Petrobras, mesmo que a categoria decida por manifestações nas refinarias e terminais será muito difícil interromper a produção e a companhia está preparada para evitar um desabastecimento no país.

Em 2001, os petroleiros conseguiram reduzir significativamente a produção de petróleo, forçando o país a importar combustível extra no mercado internacional. Há um ano, os sindicatos cancelaram um plano para uma paralisação de 5 dias depois de aceitarem uma proposta de promoções na empresa.

(Reportagem de Denise Luna)

 
<p>Foto de arquivo mostra funcion&aacute;rio da Petrobras trabalhando na plataforma P-52 na bacia de Campos, perto do Rio de Janeiro. Photo by Bruno Domingos</p>