Países em desenvolvimento pedem abertura dos mercados agrícolas

quinta-feira, 15 de novembro de 2007 15:24 BRST
 

GENEBRA (Reuters) - A abertura dos mercados agrícolas dos países mais ricos é crucial para se chegar a um pacto sobre comércio mundial, e a Rodada de Doha não terá êxito sem isso, disseram na quinta-feira os países em desenvolvimento.

Em reuniões organizadas pelo Brasil na Organização Mundial de Comércio (OMC), ministros e funcionários de cerca de 100 países reiteraram que o desenvolvimento era o coração da agenda da Rodada de Doha, que começou há seis anos, e que a agricultura é central para esse desenvolvimento.

"A maioria dos agricultores do mundo vive nos países em desenvolvimento, e segue sendo afetada pelos gigantescos subsídios e pelas barreiras que proíbem o acesso ao mercado dos países desenvolvidos", afirmaram os países em comunicado conjunto.

"Tratar efetivamente destas distorções é o tema pendente de maior importância na OMC", acrescentaram.

Os países em desenvolvimento destacaram como transcedental o problema do algodão, com os subsídios norte-americanos expulsando do mercado os pobres agricultores africanos.

Os principais pontos de um acordo na OMC incluiriam um corte nos subsídios agrícolas dos Estados Unidos e uma redução das tarifas da União Européia para que os países pobres abram seus mercados a bens industriais.

Por seu lado, os países ricos estão esperando saber se as nações em desenvolvimento aceitarão as propostas de um mediador da OMC para a redução das tarifas a produtos industriais, antes de especificar o que farão na agricultura.