BOLSA EUROPA-Mercados operam estáveis sustentados por petróleo

segunda-feira, 15 de outubro de 2007 08:23 BRST
 

Por Blaise Robinson

PARIS, 15 de outubro (Reuters) - As bolsas de valores da Europa operavam perto da estabilidade nesta segunda-feira, apoiadas por ações do setor petrolífero que avançavam com o petróleo registrando preço recorde. O movimento compensava queda nos setores de tecnologia e telecomunicações.

As ações do grupo holandês Philips Electronics (PHG.AS: Cotações) despencavam 5 por cento depois que a unidade de medicina da companhia mostrou uma queda surpreendente no lucro.

Às 8h12 (horário de Brasília), o índice FTSEurofirst 300 .FTEU3, que reúne os principais mercados europeus, operava praticamente estável, a 1.600 pontos, depois de cair a 1.598 pontos mais cedo. Se o indicador encerrar a sessão em alta, o índice terá acumulado 12 dias de ganhos em 14 pregões.

"Realização de lucro é algo que podemos ver nesse momento, principalmente por causa do fato de que os problemas associados com o mercado de crédito imobiliário de alto risco não estão completamente eliminados ainda", disse Franz Wenzel, estrategista da AXA Investment Managers em Paris.

"Mas atualmente, pelo menos da perspectiva de valorização, as ações oferecem características de melhor retorno ao risco e há ampla liquidez, então os investidores estão buscando algumas ações e é isso que estamos vendo nesses últimos dias", acrescentou.

"Estamos passando por uma temporada de divulgação de resultados dos Estados Unidos que não está ruim, então as pessoas estão recuperando confiança e as ações podem continuar a subir."

Grandes bancos incluindo o Citigroup (C.N: Cotações) estão buscando a montagem de um fundo de cerca de 80 bilhões de dólares para financiar ativos baseados em hipotecas e outros títulos, em uma tentativa de impedir que o aperto no crédito continue afetando a economia global, informaram fontes próximas do assunto no domingo.

O petróleo bateu recorde em Nova York CLc1 nesta segunda-feira, mantendo-se acima dos 84 dólares o barril, e em Londres a commodity também registrou recorde, a 81,55 dólares.   Continuação...