Presidente da China oferece diálogo e pacto de paz a Taiwan

segunda-feira, 15 de outubro de 2007 12:28 BRST
 

Por Ben Blanchard

PEQUIM (Reuters) - O presidente chinês, Hu Jintao, ofereceu nesta segunda-feira negociações com Taiwan para que se chegue a um acordo de paz com a ilha, vista pela China como parte de seu território.

Falando ao 17o Congresso do Partido Comunista, Hu alertou a ilha, que é democrática, contra a declaração formal de uma independência, mas não usou a oportunidade da cúpula para ameaçar Taiwan com o uso da força, como fizeram antecesssores seus.

"Gostaríamos de fazer um apelo solene: com base no princípio de uma China única, vamos discutir um final formal para o estado de hostilidade entre os dois lados e chegar a um acordo de paz", disse Hu em seu discurso lido.

No passado, a China já quis retomar as conversas com Taiwan, interrompidas desde 1999, quando o então presidente taiuanês Lee Teng-hui insistiu que as relações bilaterais fossem descritas como "especiais de Estado para Estado", o que sugeriria que Taiwan é um país separado.

A China defende a soberania sobre Taiwan desde que as duas regiões se separaram em 1949, quando os comunistas venceram a guerra civil chinesa e os nacionalistas fugiram para a ilha.

"Estamos dispostos a conduzir trocas, diálogo, consultas e negociações com qualquer parte política em Taiwan, sobre qualquer assunto, desde que reconheça que os dois lados do estreito pertencem à mesma China", afirmou Hu.