Pelo 2o dia, Bovespa resiste a NY e fecha no azul

terça-feira, 15 de julho de 2008 18:13 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Pelo segundo dia consecutivo, a Bolsa de Valores de São Paulo resistiu à influência negativa dos mercados internacionais e fechou com valorização.

Após uma terça-feira de intensa volatilidade, o Ibovespa fechou com alta de 0,48 por cento, a 61.015 pontos. O índice oscilou entre baixa de 3,2 por cento e alta de 1,56 por cento.

O vaievém turbinou o volume financeiro da bolsa para 6,17 bilhões de reais.

Diferente de Wall Street, que acusou o golpe das previsões negativas do presidente do Federal Reserve para o cenário de crescimento econômico e inflação nos Estados Unidos, a bolsa paulista recuperou-se das perdas da abertura suportada por compras pontuais.

"As quedas das últimas semanas derrubaram os preços de ações de diversos setores para patamares muito interessantes. Isso reduziu a saída de recursos de investidores estrangeiros e atraiu os domésticos para a ponta compradora", disse Rafael Moyses, gestor da corretora Umuarama.

Empresas dos setores de eletricidade e telefonia, cujas receitas são protegidas em contrato dos efeitos da inflação, voltaram a brilhar. As ações preferenciais da operadora Brasil Telecom ilustraram esse movimento, com alta de 5,1 por cento, a 18,35 reais.

Mas a líder de ganhos foi a Cyrela, que divulgou animadores resultados preliminares do segundo trimestre. As ações ordinárias deram um salto de 8,7 por cento, para 20,50 reais.   Continuação...