Piora nos EUA sustenta dólar acima de R$1,80

segunda-feira, 15 de outubro de 2007 16:46 BRST
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar acompanhou a forte queda nas bolsas de valores norte-americanas e fechou em alta nesta segunda-feira, mantendo o patamar de 1,80 real.

A moeda norte-americana subiu 0,44 por cento, para 1,815 real. Em outubro, porém, o dólar ainda acumula queda de 1,09 por cento.

A sexta-feira positiva nos mercados internacionais deu impulso para a baixa do dólar no começo do dia, que recuperou o descompasso causado pelo feriado de Nossa Senhora Aparecida. Junto com o fluxo cambial, esse embalo externo fez o dólar ser cotado abaixo de 1,80 real pela segunda sessão consecutiva.

O clima, no entanto, piorou mais tarde em Wall Street. Os principais índices operaram em forte queda por conta do resultado ruim do Citigroup e de preocupações com o recorde do petróleo e a estabilidade dos mercados de crédito.

"Teve uma realização (de lucros), e é natural que com isso tenha uma fuga de (ativos de maior) risco" como os brasileiros, disse Marcelo Voss, economista-chefe da Corretora Liquidez.

A cautela no mercado de câmbio se justificou ainda devido à semana carregada de eventos. Nos Estados Unidos, há uma série de resultados corporativos, além da divulgação de um importante índice de inflação. No Brasil, a quarta-feira reserva a decisão do Banco Central sobre a taxa básica de juros.

Voss citou também o leilão de compra de dólares, realizado no final da manhã pelo Banco Central, como justicativa para a virada do dólar. Na operação, a autoridade monetária definiu taxa de corte a 1,7980 real e aceitou, segundo um operador, ao menos sete propostas.

As compras, que foram retomadas na semana passada após uma pausa de quase dois meses, devem voltar a surtir efeito sobre as reservas internacionais. Nas últimas semanas, o saldo do país oscilou pouco acima do patamar de 160 bilhões de dólares.