Gabrielli diz que queda do petróleo é temporária

sexta-feira, 15 de agosto de 2008 14:59 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, descartou que a queda no valor de mercado da companhia esteja ligada às especulações sobre a criação de uma nova estatal do petróleo que poderia enfraquecer a empresa.

Segundo Gabrielli, a queda acompanha a desvalorização do petróleo, um movimento de curto prazo e que deve ser invertido.

"Não, acredito que a queda do valor de mercado está associada ao preço do petróleo, como caiu a Shell e como caíram todas as empresas (petrolíferas) do mundo", disse ele a jornalistas durante evento do Programa Ambiental da companhia.

Para o executivo, a queda do preço do petróleo não é definitiva, e ele prevê que o preço subirá assim como caiu.

"Da mesma maneira que quando o preço chegou ao recorde a gente disse que era alta de curto prazo, da mesma maneira achamos que é também um movimento de queda de curto prazo", disse ele.

"É previsível que estejamos em uma tendência de queda, mas não é definitiva, vai voltar a crescer".

PRÉ-SAL

Ele se recusou a comentar sobre a possível criação de uma empresa para gerir os recursos do pré-sal afirmando que "nada está decidido" e que só vai discutir o assunto no âmbito da comissão interministerial criada pela presidência.

Perguntado se a Petrobras teria condições de explorar sozinha as áreas do pré-sal, como já foi especulado por alguns defensores da nacionalização da commodity, Gabrielli lembrou que são necessários muitos recursos para desenvolver o pré-sal "até porque é uma província extremamente grande e o que conhecemos hoje é limitado".   Continuação...

 
<p>Imagem de arquivo do presidente da Petrobras, Jos&eacute; Sergio Gabrielli, durante congresso em Madri. Gabrielli descartou que a queda no valor de mercado da companhia esteja ligada &agrave;s especula&ccedil;&otilde;es sobre a cria&ccedil;&atilde;o de uma nova estatal do petr&oacute;leo que poderia enfraquecer a empresa. Photo by Susana Vera</p>