Wall St é sacudido por Lehman e venda da Merrill Lynch

segunda-feira, 15 de setembro de 2008 08:04 BRT
 

Por Dan Wilchins e Jennifer Ablan

NOVA YORK (Reuters) - O mercado financeiro norte-americano sofria profundos abalos nesta segunda-feira, após o pedido de proteção contra falência do Lehman Brothers e o acordo de venda da Merrill Lynch .

O Federal Reserve também anunciou que pela primeira vez vai aceitar ações em troca de empréstimos em dinheiro. Dez dos maiores bancos do mundo concordaram em estabelecer uma linha de emergência de 70 bilhões de dólares, com a possibilidade de qualquer um deles tomar até um terço disso.

Em uma segunda-feira negra para Wall Street, fracassaram as negociações desesperadas para se encontrar alguém que salvasse o Lehman. Além disso, a AIG pediu ao Fed uma linha de crédito que garanta sua sobrevivência, de acordo com jornais.

Mas o Bank of America acertou a compra da Merrill Lynch por 50 bilhões de dólares em ações, vendo uma oportunidade de barganha com a tentativa da maior corretora de varejo do mundo de se proteger diante do medo de que pudesse se tornar a próxima vítima.

"É o retorno ao capitalismo puro, à sobrevivência do mais adaptado --o governo não pode e não vai socorrer todo mundo", disse Justin Urquhart Stewart, diretor de investimentos na 7 Investment Management, em Londres.

"Os investidores agora vão se voltar para bancos que mereçam confiança, ainda que pareça difícil falar em algo assim hoje em dia."

Os mercados acionários da Ásia e da Europa despencavam com o medo do risco de contraparte do Lehman. A turbulência nos mercados levava os investidores a procurar refúgios, como o ouro.

Às 7h50 (horário de Brasília), o FTSEurofirst 300, com as principais ações européias, caía mais de 4,5 por cento, afetado pelas ações de bancos como o UBS .   Continuação...