COLUNA-Copom e Bernanke formam elite, atividade cai à 2a divisão

segunda-feira, 15 de outubro de 2007 08:05 BRST
 

Por Angela Bittencourt

SÃO PAULO (Reuters) - Os indicadores de atividade taxados de "elite" entre os dados que o Banco Central leva em conta na hora de discutir a política monetária do país devem ser rebaixados para a segunda divisão na retomada das operações pelo mercado financeiro, após o feriadão.

A definição do juro básico da economia será o principal alvo de atenção de bancos e investidores numa semana atulhada de eventos financeiros aqui e lá fora.

O Ibovespa, índice tradicional das ações brasileiras, vai agitar as duas grandes bolsas nacionais: será protagonista do exercício de opções na segunda-feira na Bolsa de Valores de São Paulo e do vencimento de contratos futuros na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) na quarta-feira.

O mercado acionário estará exposto a uma overdose de emoção, dependendo do tom que o chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, imprimir em pronunciamentos que abrem e fecham a semana do Copom.

Bernanke será o centro de um jantar promovido pelo Economic Club of New York segunda-feira à noite. Na sexta-feira, ele participa de encontro patrocinado pelo Fed de St Louis, onde o debate esquenta em torno da política monetária.

Entre um compromisso e outro, o Fed divulgará o Livro Bege, em que a instituição faz um balanço periódico da atividade econômica dos Estados Unidos que será usado como suporte para a próxima decisão sobre o juro básico. O Comitê Federal de Mercado Aberto tem encontro marcado em 30 e 31 de outubro.

DE OLHO NO CÂMBIO

Na quarta-feira, quando o Fed apresentar o Livro Bege, com chance de incrementar a expectativa de novos cortes do juro norte-americano, o Banco Central do Brasil deverá atualizar dados referentes ao fluxo cambial do país.   Continuação...