BOLSA EUA-Wall St sobe 2% por perspectiva positiva de balanços

sexta-feira, 18 de abril de 2008 14:19 BRT
 

NOVA YORK, 18 de abril (Reuters) - Os principais índices de Wall Street operavam em forte alta na tarde desta sexta-feira depois que a divulgação do balanço do Citigroup (C.N: Cotações) deu novas esperanças aos investidores de que a crise de crédito esteja perto do fim, e bons resultados trimestrais do Google (GOOG.O: Cotações) afastaram temores de baixas noa anúncios online, iniciando um rali no setor de tecnologia.

Contribuindo para o bom humor da sessão, as fabricantes Honeywall International (HON.N: Cotações) e Caterpillar (CAT.N: Cotações) também apresentaram resultados acima das estimativas de analistas, graças às fortes vendas globais.

Este panorama deu força ao otimismo sobre as expectativas acerca dos balanços para o primeiro trimestre, que tiveram um início ruim na semana passada com a Alcoa (AA.N: Cotações) e General Eletric (GE.N: Cotações).

"Há apenas uma semana tivemos notícias ruins da GE que derrubaram o mercado, o tom dos balanços esta semana veio muito melhor", afirmou Joseph Battipaglia, estrategista de mercados na Stifel Nicolaus.

"Ainda não se sabe que tipo de resultados veremos nos próximos trimestres", colocou Battipaglia, acrescentando que acha que as expectativas de Wall Street para o segundo semestre de 2008 são muito altas.

Às 14h18 (horário de Brasília) o índice Dow Jones .DJI tinha alta de 2,06 por cento, aos 12.880 pontos. O S&P 500 .SPX subia 2,12 por cento, para 1.394 pontos e o índice Nasdaq .IXIC, de empresas de tecnologia, avançava 2,95 por cento, para 2.410 pontos.

O Citigroup, maior banco dos Estados Unidos, reportou prejuízo maior que o esperado nesta sexta-feira, mas suas ações tinham forte alta com os investidores se aliviando com o fato de que a empresa está tomando medidas para afastar os problemas com crédito.

No setor de tecnologia, o Google puxava as altas depois de anunciar na quinta-feira lucros acima do esperados e afirmar que não sentiu os efeitos de uma economia enfraquecida.

As ações da companhia subiam 20 por cento, com diversas corretoras elevando seu preço-alvo para o papel.

(Reportagem de Cal Mankowski)