Otan e Rússia ficam perto de acordo para ajuda no Afeganistão

sábado, 15 de março de 2008 16:47 BRT
 

Por Mark John e Paul Taylor

BRUXELAS (Reuters) - A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) informou no sábado que está perto de um acordo para usar o território e o espaço aéreo da Rússia para abastecer suas forças de segurança no Afeganistão, mas diplomatas ocidentais negaram qualquer negociação com Moscou para manter fora da aliança a Ucrânia e a Geórgia.

O secretário-geral da Otan, Jaap de Hoop Scheffer, disse estar esperançoso em relação a um aumento da cooperação com a Rússia. Um porta-voz da aliança disse que a Otan está negociando acordos relacionados ao uso do território e de corredores aéreos para suas tropas e equipamentos, que podem ser anunciados quando o presidente Vladimir Putin comparecer ao encontro de cúpula da entidade no mês que vem.

"Eu espero que o Afeganistão possa ser uma área na qual a Otan e a Rússia possam fazer progressos para cooperarem de uma maneira mais próxima", disse de Hoop Schaffer em uma conferência de segurança em Bruxelas.

Diplomatas disseram que um encontro do conselho Otan-Rússia na segunda-feira discutirá um pacote que inclui a possibilidade de leasing de aviões e trens da Rússia, treinamento russo para pilotos de helicóptero e assistência contra narcóticos.

"Discussões estão em andamento. Não há acordo fechado. Nós estamos trabalhando rumo a um acordo na cúpula de Bucareste", disse o porta-voz da Otan, James Appathurai, referindo-se ao encontro marcado para 2 a 4 de abril na capital da Romênia.

Os secretários de Estado e da Defesa dos EUA, Condoleezza Rice e Robert Gates, visitarão Moscou na terça-feira para discutir com os russos um pacote maior, incluindo defesa anti-mísseis, controle de armas convencionais e nucleares e cooperação no Afeganistão e no Irã, disseram os diplomatas.

A operação da Otan no Afeganistão, com 43 mil homens, está enfrentando um grande desafio com o ressurgimento da atuação de militantes do Taliban. A Otan e a Rússia já cooperam no treinamento a autoridades afegãs e asiáticas para o combate ao tráfico de ópio do Afeganistão.