Bancos centrais se movem para abrandar turbulência com Lehman

segunda-feira, 15 de setembro de 2008 07:17 BRT
 

Por Yoko Nishikawa and Marc Jones

TÓQUIO/FRANKFURT, 15 de setembro (Reuters) - Bancos centrais da Europa e da Ásia seguiram o Federal Reserve nesta segunda-feira na tentativa de sustentar os mercados abalados pelo pedido de proteção contra falência do Lehman Brothers e pela venda da Merrill Lynch.

O dólar e as ações recuaram após as conversas emergenciais do final de semana não terem conseguido evitar que o Lehman, banco de investimento de 158 anos, se tornasse a mais recente vítima da crise de crédito.

O Fed anunciou medidas de emergência no domingo, incluindo aceitar ações como colateral para empréstimos em dinheiro em um dos instrumentos especiais de crédito usados pela primeira vez em 90 anos de história.

Bancos centrais de outros países do G7 afirmaram que estão de olho nos mercados e prontos para agir.

"Nós estamos monitorando as condições do mercado financeiro e em contato com o Fed e autoridades de outros países", afirmou à Reuters uma fonte do Banco do Japão.

O Banco Central Europeu (BCE) disse que está "pronto para contribuir para as condições ordenadas no mercado aberto em euro". O Banco da Inglaterra informou que vai agir se necessário.

O Bundesbank, banco central alemão, afirmou que os bancos do país têm uma exposição "gerenciável" ao Lehman e está em contato com instituições dentro e fora de casa.

O banco central da Austrália proveu o sistema bancário com mais dinheiro.