Votorantim fecha acordo para fusão da VCP com ARACRUZ

segunda-feira, 15 de setembro de 2008 09:34 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O grupo Votorantim Industrial fechou acordo com o grupo Safra para unir a Votorantim Celulose e Papel com a Aracruz, anunciaram as companhias em comunicado nesta segunda-feira.

O acordo acontece depois que a Votorantim acertou, em agosto, a compra da participação de 28 por cento do grupo Lorentzen na Aracruz por 2,71 bilhões de reais.

Essa operação abriu caminho para que o Safra avaliasse sua posição no grupo de controle da maior fabricante de celulose de eucalipto do mundo. Com isso, a Arainvest, que reúne a participação do Safra na Aracruz, acabou desistindo do direito de preferência e venda conjunta, optando por uma parceria com a Votorantim.

O acordo anunciado nesta segunda-feira, que já era aguardado pelo mercado, foi montado de modo que Votorantim e Arainvest criaram uma holding na qual terão 50 por cento do capital votante cada e, respectivamente, 57,23 e 42,77 por cento do capital total.

A holding terá 100 por cento das ações ordinárias da VCP e cerca de 28 por cento das ações ordinárias e 14,8 por cento das preferenciais da Aracruz.

No final do processo, a VCP terá 56 por cento das ordinárias da Aracruz e a Arainvest fará pagamento de cerca de 530 milhões de reais para o grupo Votorantim.

"VID (grupo Votorantim Industrial) e Arainvest confirmam a intenção de integrar as atividades de Aracruz e VCP", informou a VCP no comunicado ao mercado.

A Aracruz tem cerca de 24 por cento do mercado mundial de celulose branqueada de eucalipto, voltada para a produção de papéis de imprimir e escrever, papéis sanitários e papéis especiais. A empresa tem capacidade anual de 3,2 milhões de toneladas de celulose e meta de mais que dobrar essa produção, para 7 milhões de toneladas, até 2015.

A VCP tem plano de chegar a uma capacidade de produção de celulose de mercado de cerca de 3,5 milhões de toneladas até 2012. Em 2007, a empresa vendeu 1,1 milhão de toneladas.

Representantes das empresas não estavam imediatamente disponíveis para comentar a operação.

(Reportagem de Alberto Alerigi Jr.; Edição de Daniela Machado)