Tarso vê cobiça na Amazônia por trás de preocupação com Marina

quinta-feira, 15 de maio de 2008 12:03 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A preocupação da comunidade ambientalista internacional com a saída de Marina Silva do Ministério do Meio Ambiente tem como pano de fundo os interesses de empresas multinacionais em explorar a Amazônia brasileira, afirmou nesta quinta-feira o ministro da Justiça, Tarso Genro.

"Têm visões da comunidade internacional que defendem a Amazônia como se ela fosse um território da humanidade e não território brasileiro. Isso aí esconde interesses econômicos sobre a Amazônia como uma reserva planetária para grandes multinacionais e para controles territoriais de outros países sobre o Brasil", disse o ministro a jornalistas, em evento da União Nacional dos Estudantes, que cria o Memorial da Anistia Política no antigo terreno da entidade, no Rio.

Tarso ressaltou que a opinião da comunidade internacional não é uniforme sobre questões ambientais, e que existe uma parte efetivamente preocupada com a combinação de desenvolvimento com sustentabilidade.

"É com essa visão que eu estou preocupado", disse o ministro da Justiça, reconhecendo que este segmento ficou preocupado com a saída de Marina Silva. "Mas vendo o currículo do (Carlos) Minc (novo ministro do Meio Ambiente) vão ficar tranquilos", acrescentou.

Tarso afirmou que como petista e amigo de Marina lamentou a saída dela do Meio Ambiente, mas disse considerar Minc um substituto à altura. (Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)