Sem experiência no setor, Lobão é indicação de Sarney

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008 20:55 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O relacionamento com o ex-presidente José Sarney norteia há cerca de três décadas a carreira política do senador Edison Lobão (PMDB-MA), indicado nesta quarta-feira como novo ministro de Minas e Energia.

Sem experiência em energia ou em mineração, o parlamentar chega ao ministério em um momento de tensão pela ameaça de uma crise de abastecimento de energia elétrica.

Formado em direito e em comunicação, Lobão, de 71 anos, seguiu carreira no jornalismo e trabalhou em vários órgãos da imprensa desde o período anterior ao golpe de 1964 até o fim da década de 1970, incluindo a chefia da sucursal de Brasília da Rede Globo.

Pelas mãos de Sarney, ele entrou para a vida pública em 1979, eleito deputado federal pelo PDS, partido que sucedeu a Arena na sustentação do Regime Militar (1964-1985).

Reelegeu-se e em 1986 conquistou o cargo de senador pelo PFL, hoje DEM, sigla que o acolheu a pedido de Sarney, já presidente da República, após a morte de Tancredo Neves, eleito pelo Colégio Eleitoral no ano anterior.

O político interrompeu a passagem pelo Senado para ser eleito, sempre com o apoio de Sarney, para o governo do Maranhão, entre 1991 e 1994. No mesmo ano em que deixou o Palácio dos Leões venceu a disputa para voltar ao Senado, ainda pelo PFL, partido do qual seria líder na Casa.

Em 2001, após a renúncia do então presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), envolvido em denúncias de corrupção, Lobão assumiu o cargo para completar o mandato do peemedebista. Em 2002, teve renovado o mandato no Senado.

Recentemente, o político nascido em Mirador, no Maranhão, trocou o DEM pelo PMDB --mesmo partido de Sarney, que também trouxe a filha, Roseana, para a sigla. Apesar de ter seguido a recomendação do líder, Lobão ainda aparece como integrante do antigo PFL em sua página na Internet.

O trânsito com a oposição ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez com que Lobão fosse cogitado em 2007 para voltar à presidência da Casa, por conta da renúncia de Renan Calheiros (PMDB-AL). Ele acabou preterido por Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), não tão ligado a Sarney e militante do partido há mais tempo.

Desde 2002, Lobão é casado com Nice Lobão, deputada federal. Lobão tem três filhos, que são sócios da Rádio e TV Difusora do Maranhão.

(Reportagem de Maurício Savarese)