Alencar vai negociar CPMF com senadores e fala em redução futura

terça-feira, 16 de outubro de 2007 15:48 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente em exercício José Alencar vai negociar diretamente com os senadores a redução gradativa da CPMF para garantir a aprovação do imposto no Senado.

Na quarta-feira, Alencar vai se reunir com os líderes dos partidos no Senado e com os presidentes de comissões para conversar sobre a prorrogação da CPMF.

"O que se pode negociar, provavelmente, será uma coisa mais para a frente, com o compromisso seguro de ser cumprido", disse Alencar a jornalistas na sede da Firjan, onde participou da cerimônia de posse do presidente Eduardo Eugênio Gouveia Vieira para seu quinto mandato consecutivo.

O ministro das Relações Institucionais, Walfrido Mares Guia, também admitiu nesta terça-feira uma redução futura da alíquota da CPMF como parte de um entendimento com a oposição para a aprovação do imposto.

Segundo Alencar, na reunião que terá no Senado, o governo vai "trocar idéias" com a base aliada e com a oposição. O encontro foi organizado pelo presidente interino da Casa, Tião Viana (PT-AC).

"Todos têm que saber que somos contra a CPMF, mas não podemos praticar irresponsabilidade fiscal e orçamentária", defendeu Alencar, acrescentando que se a CPMF não for aprovada, "quem vair sair perdendo não é o governo, é o Brasil."

Às vésperas da reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central, o presidente em exercício afirmou que a taxa de juros vai continuar caindo até chegar a um patamar internacional.

"O patamar internacional é em torno de 2 a 2,5 por cento reais ao ano. Isso seria uma taxa parecida com 6 por cento nominais no Brasil", afirmou, esclarecendo que sua opinião reflete uma filosofia ideal para o Brasil.