Chávez acusa EUA e Colômbia de complô para assassiná-lo

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008 22:53 BRST
 

MANÁGUA (Reuters) - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, aumentou a tensão com a Colômbia na quarta-feira, ao acusar o país e seus aliados norte-americanos de conspirar para assassiná-lo, num momento em que os dois países mantêm uma disputa por causa da guerrilha que atua na Colômbia.

O governo colombiano respondeu exigindo respeito de Chávez e pedindo que pare seus ataques verbais ao governo do presidente Alvaro Uribe, que é o aliado mais próximo dos Estados Unidos na América do Sul.

"Em Bogotá existem autoridades norte-americanas e militares colombianos conspirando contra a Venezuela, conspirando para me matar, conspirando para iniciar um conflito armado entre a Colômbia e a Venezuela", disse Chávez durante visita à Nicarágua.

Por várias vezes, Chávez acusou os EUA de conspirarem para matá-lo, o que Washington nega. O líder venezuelano disse agora que autoridades colombianos estão cooperando com esses esforços.

O presidente venezuelano conseguiu a libertação na semana passada de duas reféns mantidas pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que decidiu libertá-las em desagravo a Chávez, após ele ter seu papel de mediador entre a guerrilha e o governo colombiano suspenso por Uribe.

"O governo colombiano pede ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, que pare as agressões contra nosso país", disse o ministro colombiano das Relações Exteriores, Fernando Araujo. "O governo colombiano insiste que, por canais diplomáticos, pode haver diálogo."

(Por Ivan Castro em Manágua e Patrick Markey em Bogotá)

 
<p>O presidente da Venezuela, Hugo Ch&aacute;vez, comparece &agrave; cerim&ocirc;nia de posse do presidente da Guatemala, Alvaro Colom, na cidade da Guatemala.Ch&aacute;vez acusou a Col&ocirc;mbia e os EUA de conspirarem para assassin&aacute;-lo. Photo by Daniel Leclair</p>