TAM suspende vôos para Bolívia por conflito aeroportuário

terça-feira, 16 de outubro de 2007 18:35 BRST
 

LA PAZ (Reuters) - Uma unidade da companhia aérea brasileira TAM suspendeu indefinidamente nesta terça-feira suas operações na Bolívia e outras empresas devem acompanhar a decisão como consequência de um conflito na administração de aeroportos do país vizinho.

O diretor de aeronáutica civil, Javier García, disse que um conflito entre a administração nacional de aeroportos e seu escritório regional no distrito de Santa Cruz, no leste do país, provocou cobranças dobradas no aeroporto Viru Viru, o maior na Bolívia, o que as empresas rejeitam.

García acrescentou que as autoridades do distrito pretendem cobrar em dinheiro tarifas extraordinárias não-autorizadas legalmente das companhias aéreas estrangeiras.

O conflito se soma a uma grande lista de disputas sobre autonomia entre o governo do presidente Evo Morales e o governo regional de Santa Cruz.

"Devido a isso, o que está já sendo aplicado é a restrição de operações. A TAM acaba de suspender operações para a Bolívia no dia de hoje (terça-feira) e a American Airlines poderia, já nos anunciou, cancelar as suas operações de maneira indefinida. Isso significa um problema para os usuários", alertou García.

"Isso não afetará a classificação de categoria um dos aeroportos bolivianos, por ser um fato administrativo não determinante, mas se afeta a imagem do nosso país", afirmou.

A suspensão de vôos da TAM Mercosur, filial da, afetava também as operações que partiam da cidade central de Cochabamba.

Dez companhias aéreas realizam cerca de 40 vôos diários saindo do aeroporto de Viru Viru, que junto com os de La Paz e Cochabamba são operados por uma filial do grupo britânico TBI, controlado pelo consórcio espanhol Abertis .

García afirmou que a TBI não tem responsabilidade no conflito entre os governos nacional e estadual envolvidos.