Inflação na zona do euro atinge recorde e impulsiona euro

quarta-feira, 16 de abril de 2008 08:33 BRT
 

Por Jan Strupczewski

BRUXELAS (Reuters) - A alta nos preços de alimentos e energia pressionou a inflação da zona do euro para um novo patamar recorde de 3,6 por cento em março, fazendo o euro ter valorização para nível recorde contra o dólar frente as menores chances de um corte na taxa de juros pelo Banco Central Europeu.

O instituto de estatísticas da União Européia revisou nesta quarta-feira estimativa inicial de 3,5 por cento para o crescimento dos preços nos 15 países que usam o euro para o maior índice anual de inflação desde que as medições começaram em 1997. A inflação subiu 1,0 por cento na comparação mensal.

Os números de março estão muito acima das estimativas do mercado e bem acima da meta de inflação do BCE, de pouco abaixo de 2 por cento.

A inflação alta reduz das chances de um novo corte de juros básico pelo BCE, o que fez com o euro e a libra inglesa batessem novas altas recordes frente ao dólar.

"O BCE provavelmente irá manter as taxas de juros atuais. Isso deve dar força para o euro atingir 1,6 dólar no curto prazo", afirmou Martin van Vliet, economista no ING Bank.

Economistas observaram, no entanto, que a meta de inflação do BCE é para o médio prazo e que o aumento nos preços está propenso a desaceleração para dentro da meta do banco no período, deixando espaço para juros menores, com o intuito de dar força ao crescimento econômico.

"Como o BCE tem planos para a inflação no médio prazo, ele será capaz de afrouxar a política no segundo semestre do ano. Acreditamos que ele irá afrouxar no terceiro trimestre do ano com uma redução total de 1,0 ponto ao longo de três trimestres, acrescentou.