Tempestade Fay deve virar furacão e ameaça Cuba e EUA

sábado, 16 de agosto de 2008 10:45 BRT
 

Por Manuel Jimenez

SANTO DOMINGO (Reuters) - A sexta tempestade temporada 2008 de furacões no Atlântico provocou chuvas torrenciais na República Dominicana e no Haiti neste sábado e a expectativa é que ela se torne um furacão, ameaçando Cuba e os Estados Unidos, afirmaram meteorologistas norte-americanos.

Uma mulher dominicana de 34 anos morreu e dois de seus sobrinhos, com 5 e 13 anos, estão desaparecidos depois de terem sido arrastados por uma enxurrada a cerca de 140 quilômetros ao leste de Santo Domingo que afundou o caminhão onde eles se encontravam, afirmou o centro de operações especiais do país caribenho.

A tempestade tropical Fay, o sexto ciclone no que os especialistas prevêem que será uma temporada atípica de furacões, se formou na sexta-feira conforme se aproximou da costa da República Dominicana.

Às 9h00 (horário de Brasília) deste sábado, seu centro foi localizado a 55 quilômetros a noroeste de Porto Príncipe, a empobrecida capital haitiana, e está se movendo para oeste a 22 quilômetros por hora, afirmou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.

Apesar do terreno montanhoso do Haiti, que poderia ajudar a enfraquecer a tempestade, a Fay se manteve firme durante a madrugada, segundo o centro de furacões sediado em Miami.

A previsão de rota da tempestade também mudou um pouco para o sul e oeste, o que significa que ela irá ficar mais tempo do que o inicialmente estimado sobre águas quentes que dão energia aos ciclones. Agora, espera-se que ela se transforme em um furacão à medida em que se aproxima da costa cubana.

As tempestades tropicais se tornam furacões quando seu topo sustenta ventos de pelo menos 119 quilômetros por hora.

O centro de furacões havia previsto que os ventos da tempestade chegariam a 146 quilômetros por hora, tornando-a um furacão de categoria 1 dentro da escala Saffir-Simpson, que chega até 5 e mede a intensidade do fenômeno, logo antes de atingir o cabo da Flórida na semana que vem.