Lucro da Eletrobrás sobe 261% no 1o trimestre,para R$841,5 mi

sexta-feira, 16 de maio de 2008 10:34 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O lucro da Eletrobrás disparou 261 por cento no primeiro trimestre, para 841,5 milhões de reais, favorecido pelo câmbio e pela equivalência patrimonial das suas subsidiárias.

A empresa teve um impacto positivo de 617,5 milhões de reais decorrente da avaliação dos investimentos societários, que superou o desempenho em 2007, quando reconheceu um ganho de 393,6 milhões de reais.

A Eletrobrás controla as principais geradoras de energia do país: Furnas, Eletronuclear, Eletronorte, Eletrosul, Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), além de uma empresa de transmissão de energia (CGTEE) e possui metade do capital da Itaipu Binacional.

Outra melhora em relação ao ano passado foi o impacto cambial sobre os recebíveis da companhia indexados ao dólar norte-americano, devido a uma menor valorização do real de janeiro a março deste ano do que no mesmo período em 2007.

O câmbio produziu uma perda de 150,6 milhões de reais, inferior à perda de 755,8 milhões de reais registrada no mesmo período do ano passado. Os recebíveis somam 14,2 bilhões de reais, informou a estatal.

A empresa destacou ainda o resultado da equivalência patrimonial, que foi influenciada pelo ajuste a valor presente decorrente de obrigações para desmobilização de ativos. A operação reduziu em 260,6 milhões reais a provisão correspondente, explicou a Eletrobrás.

"Como decorrência dos eventos, a Eletrobrás verificou significativo incremento em seu resultado financeiro, passando de uma perda de 12 milhões de reais (em 2007) para um ganho de 719,1 milhões de reais", informou.

As operações de comercialização de energia elétrica no âmbito do Proinfa (programa brasileiro de incentivo às fontes alternativas de energia elétrica) também ajudaram a companhia, gerando um resultado líquido positivo no primeiro trimestre de 2008 de 30,3 milhões de reais.

O bom resultado da companhia fez as ações dispararem mais de 3 por cento na abertura do mercado, enquanto o Ibovespa subia cerca de 1 por cento.

(Reportagem de Denise Luna)