Rússia quer mais segurança para sair da Geórgia

sábado, 16 de agosto de 2008 11:02 BRT
 

SOCHI, Rússia (Reuters) - A Rússia irá retirar as tropas da zona de conflito na Geórgia assim que forem implementadas novas medidas de segurança, afirmou neste sábado o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.

Um acordo de cessar-fogo entre a Rússia e a Geórgia estabelece que as tropas de Moscou continuarão a implementar medidas adicionais de segurança temporariamente até a chegada de um mecanismo internacional de pacificação.

"O presidente (russo) emitiu uma ordem às autoridades relevantes para começarem a adoção de medidas extras de segurança", disse Lavrov à jornalistas.

"Assim que essas medidas forem implementadas, a retirada das tropas enviadas para essa operação será iniciada", acrescentou o ministro.

O presidente russo Dmitry Medvedev e o presidente georgiano Mikheil Saakashvili assinaram um acordo de paz intermediado pela França, mas Lavrov afirmou que o documento assinado pelo líder da Geórgia carecia de uma parte introdutória chave.

"O documento assinado pelo presidente georgiano é diferente do que havia sido combinado", apontou. "Ele omite por completo a parte introdutória que afirma que esses princípios são apoiados pela Rússia e pela França e exige que todos os lados o assinem".

Ele afirmou que a Rússia estava discutindo a questão com a Geórgia e que tudo será resolvido por vias diplomáticas.

Lavrov afirmou que a Rússia começou a consultar a Organização das nações Unidas (ONU) sobre os esforços internacionais para acabar com o conflito.

"Mais monitores devem observar a zona de segurança. Nós vamos cumprir nossas obrigações no acordo, dependendo de como as outras partes se comportarem", explicou.

(Reportagem de Oleg Shchedrov)

 
<p>O ministro do exterior russo Sergei Lavrov fala &agrave; rep&oacute;rteres em Moscou, dia 13 de agosto. A R&uacute;ssia ir&aacute; retirar as tropas da zona de conflito na Ge&oacute;rgia assim que forem implementadas novas medidas de seguran&ccedil;a, afirmou neste s&aacute;bado o ministro das Rela&ccedil;&otilde;es Exteriores da R&uacute;ssia, Sergei Lavrov. Photo by Alexander Natruskin</p>