BOLSA EUROPA-Ações recuam pressionadas por AIG

terça-feira, 16 de setembro de 2008 08:24 BRT
 

Por Brian Gorman

LONDRES, 16 de setembro (Reuters) - As bolsas de valores da Europa operavam em queda nesta terça-feira ainda pressionadas pelas turbulências no setor financeiro que geraram perdas depois de uma piora de classificação de risco do grupo segurador American International Group (AIG.N: Cotações).

Investidores aguardam a decisão de juros do Federal Reserve, prevista para às 18h15 (15h15 horário de Brasília). As Fed funds indicam uma chance de 86 por cento de um corte de 0,25 ponto percentual na taxa. O mercado também aguarda a divulgação do balanço de terceiro trimestre do banco norte-americano Goldman Sachs (GS.N: Cotações).

Às 8h20 (horário de Brasília), o índice FTSEurofirst 300 .FTEU3, que reúne as principais ações européias, exibia queda de 2,55 por cento, a 1.091 pontos, ampliando perda de 3,6 por cento sofrida na segunda-feira depois que o Lehman Brothers LEH.N pediu proteção judicial contra falência. No ano, o indicador acumula perda de 27 por cento.

O índice que reúne ações do setor de seguros caía 3,22 por cento, liderado por desvalorização da Swiss Re RUKN.VX, Allianz (ALVG.DE: Cotações), AXA (AXAF.PA: Cotações), Prudential (PRU.L: Cotações) e Aviva (AV.L: Cotações) caíam entre oito e 1,5 por cento.

"Há um cheiro de pólvora queimada no ar. É como um dia depois de uma explosão. As pessoas ainda estão extremamente nervosas. Elas estão tentando saber o que mais vai acontecer", disse Justin Urquhart Stewart, diretor de investimento na Seven Investment Management.

"Os investidores estão olhando para o que as outras companhias têm de fraco no balanço. Agora nós precisamos de um pouco de liderança dos bancos centrais e das autoridades", disse ele.

As ações do setor petrolífero recuavam junto com o preço do petróleo CLc1, que operava no patamar dos 93 dólares o barril. As mineradoras também sofriam, enquanto os preços do ouro e do cobre recuavam.

Por outro lado, os papéis de companhias aéreas avançavam com a queda do petróleo. A British Airways BAY.L subia 3,2 por cento e a Lufthansa (LHAG.DE: Cotações) tinha valorização de 1,9 por cento.   Continuação...