Irã culpa "hegemonia" dos EUA pela crise

quinta-feira, 16 de outubro de 2008 08:40 BRT
 

ASTANA, 16 de outubro (Reuters) - O Irã culpou os Estados Unidos na quinta-feira pela crise financeira, dizendo que a natureza "hegemônica" da economia norte-americana afetou as demais economias.

Falando do lado de fora de uma conferência no Cazaquistão, o ministro das Relações Exteriores do Irã, Manouchehr Mottaki, disse que era hora de estabelecer um "sistema financeiro internacional justo" para conter o impacto da economia norte-americana sobre as outras.

"A crise econômica na América teve um impacto imediato sobre as economias dos outros países", disse Mottaki.

"Acreditamos que isso (a crise) foi causado pelas medidas para impor uma economia hegemônica sobre as demais economias".

O Irã tem uma relação difícil com os Estados Unidos e com outros países ocidentais devido a seu programa nuclear, suspeito de produzir armas, mas Teerã diz que seus propósitos são pacíficos.

Membro da Opep, o Irã diz que vai sobreviver à crise de maneira melhor do que os outros países, porque sua economia ficou mais independente desde a revolução islâmica, em 1979.

Mas os economistas discordam, dizendo que o país não pode sair imune devido à dependência do seu orçamento dos lucros vindos da venda petróleo.

"Infelizmente, somente uma economia no mundo continua a receber receitas, mesmo quando outras economias sofrem com a crise", disse Mottaki, referindo-se aos Estados Unidos.

"Acreditamos que o único meio de sair disso é estabelecer um sistema financeiro global justo."

(Por Rausham Nurshayeva)