BOVESPA-Mais sinais de recessão nos EUA derrubam índice de novo

quinta-feira, 16 de outubro de 2008 12:04 BRT
 

SÃO PAULO, 16 de outubro (Reuters) - A Bolsa de Valores de São Paulo retomava a tendência de perdas nesta quinta-feira, copiando Wall Street, após a divulgação de índices ruins da economia dos Estados Unidos.

Depois uma primeira hora de volatilidade intensa, o Ibovespa .BVSP firmou-se no vermelho. Às 11h49, tinha queda de 4,4 por cento, aos 35.208 pontos. O giro financeiro da sessão era de 1,4 bilhão de reais. Na mínima do dia, até agora, o índice chegou a cair 5,52 por cento.

Um dia depois de o índice ter desmoronado 11,39 por cento, na maior desvalorização diária em uma década, os investidores esboçaram sair às compras na bolsa paulista.

Diante disso, o Ibovespa subiu mais de 1,5 por cento logo nos primeiros minutos. Mas essa tendência foi logo superada depois de novos indícios de que a recessão está batendo à porta dos Estados Unidos, o que trouxe o pessimismo de volta.

A produção industrial do país caiu 2,8 por cento em setembro, a maior queda desde dezembro de 1974. E o índice de atividade empresarial no Meio-Atlântico do país caiu para -37,5, nível mais baixo desde outubro de 1990.

"Esse monte de indicadores ruins atropelou a tentativa de recuperação aqui", disse Luiz Roberto Monteiro, assessor de investimentos da corretora Souza Barros.

Ações de bancos, que estiveram entre as de melhor desempenho no início da semana, eram alvos de realização de lucros. Unibanco UBBR11.SA perdia 12,7 por cento, para 12,83 reais. Bradesco BBDC4.SA despencava 10,6 por cento, para 23,32 reais.

Uma nova rodada de perdas nos mercados de commodities também pressionava as blue chips. Petrobras (PETR4.SA: Cotações) encolhia 6,7 por cento, a 22,40 reais, na cola do barril de petróleo CLc1, que recuava à casa dos 72 dólares. Vale (VALE5.SA: Cotações) ia na mesma direção, desabando 5,9 por cento, para 22,11 reais.

Ambos os papéis são as principais referências no mercado de opções de ações, que tem vencimento na próxima segunda-feira.

(Reportagem de Aluísio Alves; Edição de Alexandre Caverni)