Fidel elogia "inteligência" de Chávez em polêmica com rei

sexta-feira, 16 de novembro de 2007 15:00 BRST
 

HAVANA (Reuters) - O líder cubano Fidel Castro elogiou na sexta-feira por escrito a "inteligência e a capacidade dialética" de seu aliado venezuelano Hugo Chávez no incidente recente com o rei Juan Carlos da Espanha.

Chávez afirmou esta semana que está revisando as relações políticas e econômicas com a Espanha, depois que o rei o mandou calar a boca durante a reunião de Cúpula Ibero-Americana realizada em Santiago, no Chile.

"Naquele ambiente tenso brilhou a inteligência e a capacidade dialética de Chávez", escreveu Fidel Castro no terceiro editorial sobre o tema, publicado na sexta-feira no Granma, o jornal do Partido Comunista cubano.

Durante a reunião, Chávez acusou reiteradamente de "fascista" o ex-primeiro-ministro espanhol, o conservador José María Aznar.

Enquanto Zapatero lhe pedia para referir-se com mais respeito, Chávez tentou interrompê-lo e o rei o repreendeu com a frase: "Por que não se cala?"

Fidel Castro descreveu no seu artigo que o discurso de Zapatero foi "invertebrado e inoportuno".

A resposta de Chávez, que exigiu desculpas do rei e ameaçou com a nacionalização de empresas de capital espanhol que operam na Venezuela, foi, no entanto, "digníssima", escreveu Fidel Castro.

Para o líder cubano, as polêmicas que surgiram durante a reunião no Chile "trouxeram provas irrefutáveis das condutas e os métodos genocidas do império, seus cúmplices e as anestesiadas vítimas do Terceiro Mundo".

Fidel, de 81 anos, não aparece em público desde julho de 2006, quando uma doença não revelada o obrigou a transferir o poder a seu irmão Raúl.

(Por Esteban Israel, edição em português 55 21 2223-7148)