Lugo vem ao Brasil para iniciar discussões sobre Itaipu

terça-feira, 16 de setembro de 2008 14:18 BRT
 

ASSUNÇÃO (Reuters) - O presidente paraguaio, Fernando Lugo, visitará seu colega brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva na quarta-feira para apresentar suas reivindicações sobre a hidroelétrica de Itaipu e iniciar uma complicada negociação.

Trata-se da primeira reunião entre Lugo e o presidente brasileiro depois que o ex-bispo assumiu o governo do Paraguai no dia 15 de agosto, com a promessa de reivindicar a soberania energética do país.

O diretor paraguaio de Itaipu, Carlos Mateo Balmelli, disse nesta terça-feira depois de se reunir com Lugo, que o Paraguai insistirá com os brasileiros sobre um reajuste na tarifa que o Brasil paga pela energia binacional.

Além disso, Lugo irá defender novamente a necessidade de uma livre disponibilidade de energia "não só para o consumo, mas para a venda" a outros países, algo que atualmente está vetado pelo tratado de fundação da usina.

O tratado de fundação de Itaipu estabelece que cada país é dono da metade da energia gerada e deve vender o excedente não utilizado ao seu sócio, a um preço fixado no acordo vigente até 2023.

As reivindicações paraguaias, similares às que o presidente boliviano, Evo Morales, fazia em relação ao gás no começo de seu mandato, são vistas com certo receio pelo governo do Brasil, que propõe como alternativa aumentar a ajuda financeira para obras de infraestrutura em lugar de renegociar o tratado.

"O Paraguai tem seis reivindicações, uma já conseguimos que é a transparência. Outros pontos pendentes são a livre disponibilidade, o preço justo pela energia, a co-gestão paritária e a conclusão de obras civis, e estamos sempre firmes em tudo isso", disse Mateo.

Mateo reconheceu que "a contraparte vai ser um osso duro de roer", mas disse que considera que "do lado brasileiro há uma inclinação favorável ao diálogo e para buscar um entendimento".

"Creio que essa mesa de negociação vai ser intensa, tensa e dinâmica, no sentido de que ambas as partes vão ter que contar com a criatividade e a imaginação suficientes para apresentar propostas múltiplas para poder chegar a um acordo", disse.

Itaipu é uma das hidroelétricas mais potentes do mundo e gera cerca de 20 por cento do total da energia consumida pelo Brasil, país que utiliza quase a totalidade do que é produzido pela usina.

(Reportagem de Mariel Cristaldo)