Hezbollah entrega restos mortais de soldados israelenses

quarta-feira, 16 de julho de 2008 07:22 BRT
 

Por Ayat Basma e Avida Landau

FRONTEIRA ENTRE LÍBANO E ISRAEL (Reuters) - O Hezbollah entregou à Cruz Vermelha os corpos de dois soldados israelenses na quarta-feira. Os restos mortais dos soldados serão trocados por libaneses mantidos presos por Israel.

O acordo é visto como uma vitória para a guerrilha libanesa e como uma dolorosa necessidade para muitos israelenses. dois anos após a captura dos soldados gerar uma guerra de 34 dias com o Hezbollah. No confronto morreram 1.200 pessoas no Líbano e 159 israelenses.

A emissora de TV Al-Manar, do Hezbollah, mostrou dois caixões pretos sendo levados por um veículo na fronteira entre Israel e Líbano, depois de Wafik Safa, autoridade de segurança do Hezbollah, revelar pela primeira vez que os reservistas do Exército israelense Ehud Goldwasser e Eldad Regev estavam mortos.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha levou os caixões para Israel. Safa disse mais tarde que exames de DNA realizados pela Cruz Vermelha confirmaram as identidades dos soldados. Não havia confirmação imediata da Cruz Vermelha ou de Israel.

"Estamos agora entregando os dois soldados israelenses que foram capturados pela resistência islâmica em 12 de julho de 2006 à Cruz Vermelha", disse Safa na fronteira. "O lado israelense vai agora entregar os grandes combatentes sagrados árabes Samir Qantar e seus companheiros à Cruz Vermelha."

Em acordo mediado por uma autoridade de inteligência alemã indicada pela Organização das Nações Unidas (ONU), Israel libertará Qantar e outros quatro prisioneiros.

Qantar cumpria sentença de prisão perpétua pelas mortes de quatro israelenses, incluindo uma garota de quatro anos e o pai dela, em um ataque da guerrilha a uma cidade israelense em 1979.

(Reportagem adicional de Tom Perry e Nadim Ladki em Beirute, Jeffrey Heller e Dan Williams em Jerusalém e Nidal al-Mughrabi em Gaza)