Falta de água é problema grave após terremoto no Chile

sexta-feira, 16 de novembro de 2007 17:59 BRST
 

Por Iván Alvarado

TOCOPILLA, Chile (Reuters) - A escassez de água e alimentos é, nesta sexta-feira, o principal drama de milhares de pessoas após o terremoto que há dois atingiu o norte do Chile, apesar de esforços do governo de enviar ajuda humanitária urgente.

O abastecimento de água potável em Tocopilla, cidade mais afetada pelo abalo sísmico que alcançou a magnitude de 7,7, não pôde ser restabelecido ainda e as autoridades tratam como podem da população, em uma das áreas mais ricas do planeta em minerais.

Mas nem ouro nem cobre são tão esperados nestes dias como a água potável, que não é suficiente para ajudar os milhares de flagelados, segundo testemunhas da Reuters.

A empresa Águas de Antofagasta, que abastece Tocopilla, informou em um comunicado que várias fissuras e vazamentos subterrâneos em suas redes estão impedindo a normalização do abastecimento e que a distribuição de água será feita através de caminhões-pipa.

"Temos uma grande quantidade de casas destruídas, nos falta comida, não temos leite, não temos cobertores, não temos barracas, precisamos de ajuda de verdade", disse o prefeito de Tocopilla, Luis Moyano.

Números oficiais apontam que cerca de 4.000 casas foram destruídas, pelo menos 15 mil estão danificadas, mais de 150 pessoas ficaram feridas e duas morreram por conta do terremoto.

(Reportagem adicional de Bianca Frigiani)