Bancos rivais correm atrás de clientes do Lehman

terça-feira, 16 de setembro de 2008 15:08 BRT
 

Por Michael Flaherty e Douwe Miedema

HONG KONG/LONDRES (Reuters) - O colapso do Lehman Brothers Holdings criou um frenezi entre os rivais do banco de investimento que estão procurando agarrar parte do mercado do banco de Wall Street em colapso.

Importantes executivos viajaram nos últimos dias para as sedes corporativas de empresas, segundo fontes da indústria bancária, procurando arrebatar os clientes do Lehman de todos os setores, desde fusões e aquisições até de títulos securitizados.

No alto da lista de alvos na Ásia estão provavelmente companhias chinesas com as quais o Lehman tem relações. O Lehman representa a maior produtora de alumínio chinesa Chinalco, que investiu 14 bilhões de dólares na mineradora Rio Tinto, uma parte minoritária que afirmou que poderia ser aumentada.

"No setor de fusões e aquisições, o mercado está atrás de tudo que eles sabem que o Lehman possui", afirmou uma fonte de um banco de investimento em Hong Kong que não quis ser identificado. Na Europa, o Lehman vinha trabalhando na venda de três emissoras de TV do leste europeu da Newscorp.

O Lehman ocupava a nona posição em acordos de fusão e aquisição na Ásia no ano até agora, com operações equivalentes a 37,2 bilhões de dólares, segundo a Thomson Reuters, subindo frente à 23a posição ocupada no último ano.

Após não conseguir vender a instituição ou seus ativos, o Lehman na segunda-feira pediu proteção contra falência, entrando em colapso por sua forte exposição a ativos hipotecários de alto risco. Com operações em todo o mundo, o Lehman era o quarto maior banco de investimento norte-americano.