CÂMBIO-Dólar sobe e se distancia de R$1,80 com fraqueza externa

terça-feira, 16 de outubro de 2007 11:04 BRST
 

SÃO PAULO, 16 de outubro (Reuters) - O clima ruim nos mercados internacionais, com queda nas bolsas de valores, fazia o dólar subir e se distanciar do patamar de 1,80 real na manhã desta terça-feira.

Às 11h01, a moeda norte-americana era cotada a 1,823 real, com alta de 0,44 por cento. Na véspera, o mau humor no exterior já havia favorecido a alta de 0,44 por cento do dólar.

"(O mercado de ações na) Àsia fechou em queda, (na) Europa está operando em queda, provavelmente nossa abertura deve ser também. Isso que está justificando essa alta do dólar", disse Mario Battistel, gerente da Fair Corretora. A Bovespa abriu em baixa de 0,67 por cento, a 62.549 pontos.

Nos Estados Unidos, os índices futuros das bolsas também indicavam abertura negativa. Os negócios eram afetados pelos novos recordes do petróleo, que se aproximou dos 88 dólares nos Estados Unidos, e também por comentários do chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, sobre a crise imobiliária.

Com essa alta, o dólar se afastava do piso de 1,80 real --rompido nas últimas duas sessões. Na quinta-feira, a moeda norte-americana chegou a ser negociada no menor nível em mais de sete anos, a 1,785 real.

Mas o movimento dos últimos dias não indica uma mudança significativa, segundo Battistel, que acredita que a alta do dólar atraia exportadores para o mercado de câmbio. "A tendência é continuar vindo capital para cá. Então... o cara que tem exportações tem que aproveitar esses pequenos soluços de alta para minimizar perdas", comentou.

Enquanto monitoram os mercados globais, os investidores aguardam no Brasil a definição da taxa básica de juro. A reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que começa nesta terça-feira, pode anunciar no próximo dia o fim do ciclo de cortes no juro --o que, na opinião de agentes de mercado, aumentaria o fluxo de capitais para o Brasil e pressionaria a cotação do dólar para baixo.