BOLSA EUROPA-Ações de alimentos caem e contrapõem alta de bancos

segunda-feira, 16 de junho de 2008 09:15 BRT
 

Por Patrizia Kokot

LONDRES, 16 de junho (Reuters) - As principais bolsas européias operavam perto da estabilidade na manhã desta segunda-feira, com quedas em ações de produtores alimentícios se contrapondo aos ganhos do setor bancário, impulsionado pelo plano de levantamento de capital do Barclays (BARC.L: Cotações).

Às 9h07 (horário de Brasília) o índice FTSEurofirst 300 .FTEU3, que acompanha as principais empresas européias, tinha leve queda de 0,15 por cento, para 1.265 pontos. O índice perdeu mais de 5 por cento neste mês, influenciado pelos temores de inflação e persistentes receios sobre os efeitos da dificuldade dos bancos de se financiarem.

Uma revisão para cima da inflação na zona do euro em maio para 3,7 por cento, em termos anuais, contra estimativa inicial de 3,6 por cento, não ajudou na confiança do mercado.

"(A inflação) continua a vir muito firme e ilustra os problemas com os quais o mercado está tendo que lidar --a crescente inflação, os rendimentos mais altos dos títulos, uma curva de produção invertida, a maior volatilidade nos títulos e o recuo macroeconômico não estão ajudando o mercado de ações", afirmou o estrategista Gareth Evans, do UBS.

Ações de produtores alimentícios tinham o pior desempenho após reduções de recomendação pelo UBS, que observou preocupações sobre a valorização do setor e crescimento de volume nos mercados emergentes.

Por outro lado, os bancos tinham uma boa recuperação com o Barclays (BARC.L: Cotações) liderando a alta do setor, subindo 4,72 por cento, às 9h12 (horário de Brasília), com planos de vender participação para investidores de fora e oferecer ações aos acionistas existentes, o que pode levantar bilhões de libras.

O terceiro maior banco da Grã-Bretanha afirmou ainda que seu lucro em maio foi "bem acima" de sua taxa mensal de 2007.

  Continuação...