Gabrielli diz que real forte compensa alta do petróleo

terça-feira, 16 de outubro de 2007 16:24 BRST
 

Por Denise Luna

RIO DE JANEIRO, 16 de outubro (Reuters) - A disparada do preço do petróleo no mercado internacional não precisa ser repassada para o consumidor brasileiro porque está sendo compensada pela valorização do real, afirmou nesta terça-feira o presidente da Petrobras (PETR4.SA: Cotações), José Sérgio Gabrielli.

Sem um reajuste pela estatal para a gasolina e o diesel desde 2005, Gabrielli afirmou não ver necessidade de trazer a volatilidade externa da commodity para o país, que hoje é auto-suficiente, segundo ele.

"Quando anunciamos a auto-suficiência falamos que o melhor seria a garantia de suprimento, e é isso que estamos vendo", disse o executivo a jornalistas após participar da segunda reunião do grupo de trabalho de bioenergia do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social.

Gabrielli considerou que a alta de preços do petróleo é um caminho sem volta. "Nunca mais teremos os preços de cinco anos atrás que permitiram o desenvolvimento do mundo", afirmou, lembrando que a escalada de preços vai abrir caminho para energias alternativas, como o etanol e o biodiesel.

"Não antecipamos preços baixos de petróleo para o futuro, porque as novas explorações são em áreas mais caras, os custos estão mais altos, existem conflitos, não há perspectiva dos preços voltarem aos padrões de cinco anos atrás", explicou.

Em 2002, a média do preço do barril do petróleo era de 28 dólares e nesta terça-feira ultrapassava os 88 dólares.

Gabrielli afirmou que diante dos preços elevados, energias alternativas ganharão espaço e a Petrobras pretende investir 1,5 bilhão de dólares até 2012 para desenvolver o segmento de biocombustíveis.