China suspende de estrangeiros permissão de viagens ao Tibet

domingo, 16 de março de 2008 16:36 BRT
 

Por Ian Ransom

PEQUIM (Reuters) - A China suspendeu autorizações de viagens de estrangeiros ao Tibet por "preocupações com a segurança", informou a mídia estatal, e tropas bloquearam a capital Lhasa para tentar impedir a repetição dos episódios de violência de sexta-feira, os mais sérios em duas décadas.

O clima se mantém altamente tenso em Lhasa neste domingo, com policiamento e tropas por toda cidade, além de patrulhas retirando entulho e carros virados das ruas.

Os protestos, em que 80 pessoas morreram segundo líderes exilados da região, têm incomodado autoridades e manchado a imagem de nação em harmonia cuidadosamente cultivada pela China, sede dos Jogos Olímpicos que acontecem em agosto.

O governo regional tibetano suspendeu os pedidos de estrangeiros interessados em viajar para regiões do Himalaia, informou a agência de notícias Xinhua neste domingo, citando uma autoridade local.

A China, atenta à agitação civil, exige dos estrangeiros pedidos de autorização semelhantes a vistos antes do ingresso ao Tibet.

"Nós também sugerimos aos turistas estrangeiros agora no Tibet para deixarem a região nos próximos dias", disse Ju Jianhua, diretor do departamento de relações estrangeiras da região, à Xinhua.

Os departamentos civis locais de transportes aéreo, ferroviário e rodoviário proverão serviços aos viajantes estrangeiros que quiserem encurtar suas viagens, acrescentou Ju à agência.

Turistas estrangeiros já estão impedidos de entrar em Lhasa, onde tropas chinesas estão guardando mosteiros e outras instalações, disseram testemunhas à Reuters ao chegarem em outras cidades do Tibet, no sábado.

Em Lhasa, autoridades deram aos manifestantes um ultimato, aconselhando a se renderem para polícia até a meia-noite de segunda-feira para ganharem uma possível clemência. Se não acatarem, as autoridades ameaçam com punição mais severa.

Monges foram às ruas na última segunda-feira para comemorarem o 49o aniversário de um fracassado levante e protestos se espalharam para regiões próximas rapidamente.

 
<p>Monges e manifestantes participam de protesto em Amdo Labrang, no nordeste do Tibet. A China suspendeu autoriza&ccedil;&otilde;es de viagens de estrangeiros ao Tibet por 'preocupa&ccedil;&otilde;es com a seguran&ccedil;a', informou a m&iacute;dia estatal, e tropas bloquearam a capital Lhasa para tentar impedir a repeti&ccedil;&atilde;o dos epis&oacute;dios de viol&ecirc;ncia de sexta-feira, os mais s&eacute;rios em duas d&eacute;cadas. Photo by Reuters (Handout)</p>