Cúpula UE-América Latina é marcada por atrito em torno das Farc

sexta-feira, 16 de maio de 2008 15:54 BRT
 

Por Marco Aquino e Teresa Céspedes

LIMA (Reuters) - A crise diplomática surgida entre a Colômbia, o Equador e a Venezuela ameaçava na sexta-feira tomar conta da cúpula de líderes da América Latina, do Caribe e da União Européia (UE), cuja agenda oficial prevê discussões sobre o combate à pobreza, às mudanças climáticas e à crise alimentar.

Os atritos entre os três países tornaram-se mais agudos na quinta-feira, pouco depois de a Interpol ter dito serem autênticos arquivos achados nos computadores de um líder da guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Segundo o governo colombiano, esses documentos apontam para os laços existentes entre a Venezuela, o Equador e o grupo armado.

À crise diplomática somaram-se as desavenças manifestadas pelos líderes da América Latina e da Europa a respeito de como fazer avançar um pacto mundial de livre comércio, atravancado devido à recusa de alguns países sul-americanos em abrir seus mercados e à recusa de países do velho continente em cortarem subsídios agrícolas.

O país anfitrião da cúpula, Peru, pediu aos governantes europeus para que destravem e agilizem o acordo, recebendo como resposta várias declarações de intenção mas nenhuma solução concreta.

Nesse contexto de desavença, observadores manifestaram pessimismo a respeito da possibilidade da cúpula ter êxito. O encontro reúne mais de 45 presidentes e chefes de Estado dos dois continentes.

"Nosso apelo, na qualidade de anfitriões momentâneos, é para que nossa discussão de hoje concentre-se nos pontos que nos unem, os quais são vários e com os quais podemos beneficiar em muito nossos povos, em vez de nos determos naquilo que nos desune e que, por enquanto, nos divide", afirmou o presidente do Peru, Alan García, ao abrir a cúpula.

Como prova do ambiente carregado, logo que chegou a Lima, por volta da meia-noite de quinta-feira, o presidente do Equador, Rafael Correa, acusou a Colômbia de realizar uma "campanha de difamação" contra ele.   Continuação...

 
<p>C&uacute;pula UE-Am&eacute;rica Latina &eacute; marcada por atrito em torno das Farc. O presidente venezuelano, Hugo Ch&aacute;vez, cumprimenta a primeira ministra da Alemanha, Angela Merkel na c&uacute;pula de l&iacute;deres de Am&eacute;rica Latina, Caribe e Uni&atilde;o Europ&eacute;ia. 16 de maio. Photo by Reuters (Handout)</p>