SAIBA MAIS-Confira quais são as operações da MMX no Brasil

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008 11:04 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 17 de janeiro (Reuters) - A mineradora brasileira MMX MMXM3.SA anunciou nesta quinta-feira que está em negociações com a Anglo American (AAL.L: Cotações) para vender uma parte de seu negócio à companhia com sede em Londres.

A Anglo já é sócia da MMX, do empresário Eike Batista, no sistema Minas-Rio desde o ano passado.

Com pouco mais de dois anos de vida, a MMX é formada pelos sistemas Amapá, Corumbá e Minas-Rio, além da empresa de logística LLX e a MMX Metálicos (planta de ferro gusa).

Veja a seguir a estrutura da MMX:

Sistema MMX Amapá - Em operação desde dezembro de 2007, compreende a Mina Amapá e a Estrada de Ferro do Amapá. O projeto também prevê a construção de uma planta de ferro gusa, uma unidade de produtos semi-acabados e um terminal portuário no município de Santana (Terminal Portuário de Santana). A mina Amapá tem reservas de 400 milhões de toneladas e potencial para produzir até 6,5 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. A estimativa para a produção de ferro gusa é de 2 milhões de toneladas anuais, a partir de abril de 2012.

Sistema Corumbá - Operando desde 2006, localizado em uma área de grandes reservas de minério de ferro do tipo granulado, o sistema é composto pela Mina 63, cuja produção deverá atingir 4,9 milhões de toneladas anuais com a construção de uma segunda planta de beneficiamento. As reservas estimadas são de 88,6 milhões de toneladas.

  Continuação...