Israel enterra soldados entregues pelo Hezbollah

quinta-feira, 17 de julho de 2008 08:55 BRT
 

Por Yoni Haviv

NAHARIYA, Israel (Reuters) - Israel fez os funerais dos dois soldados mortos entregues pelo Hezbollah em uma troca de prisioneiros com o grupo. O luto israelense contrastava com o clima de comemoração no Líbano.

Milhares de pessoas compareceram ao funeral de Ehud Goldwasser, cuja captura há dois anos junto com Eldad Regev provocou uma guerra de 34 dias na qual 1.200 libaneses e 159 israelenses morreram.

O funeral foi feito na cidade de Nahariya, no norte do país, e foi transmitido ao vivo pela televisão. Regev será enterrado ainda na quinta-feira.

O ministro da Defesa israelense, Ehud Barack, disse que Israel está "de coração partido" e "pagou uma preço muito alto" ao libertar cinco guerrilheiros envolvidos no ataque a Israel em troca dos corpos dos soldados, devolvidos em caixões pretos.

Ele prometeu que Israel "fará todos os esforços" para reaver outros soldados capturados, incluindo Gilat Shalit, sequestrado por militantes na Faixa de Gaza em 2006, em um combate na fronteira.

Já o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, condenou na quarta-feira as honras recebidas por Samir Qantar em Beirute. Qantar é acusado por Israel de ser o responsável por um ataque que matou quatro pessoas.

"Fico aflito com as pessoas que comemoram a libertação de uma besta que deu cacetadas na cabeça de uma criança de quatro anos", disse Olmert em um comunicado, referindo-se à garota morta por Qantar, ao lado do pai.

Qantar diz que os soldados israelenses atiraram no pai da menina e que não se lembra do que aconteceu com ela.

O líder do Hezbollah, Sayed Hassan Nasrallah, fez uma rara aparição pública para dar as boas vindas aos ex-prisioneiros na quarta-feira. Mais cerimônias serão feitas na quinta-feira para homenagear os 197 libaneses mortos entregues por Israel.

 
<p>Soldados israelenses carregam caix&atilde;o de Eldad Regev duurante funeral em Haifa  Israel fez os funerais dos dois soldados mortos entregues pelo Hezbollah em uma troca de prisioneiros com o grupo. O luto israelense contrastava com o clima de comemora&ccedil;&atilde;o no L&iacute;bano. Photo by Baz Ratner</p>