China pede maior flexibilidade em negociações com o Irã

quinta-feira, 17 de julho de 2008 09:36 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A China informou na quinta-feira que aprova a decisão de Washington de enviar um diplomata para conversar sobre a questão nuclear com o Irã e pediu às nações participantes que mostrem maior "flexibilidade" para lidar com o problema.

Autoridades dos Estados Unidos, China, Rússia, Grã-Bretanha, França e Alemanha se encontrarão no sábado para ouvir a resposta iraniana à oferta de incentivos diplomáticos e econômicos, em troca da suspensão de seu programa nuclear.

Os Estados Unidos disseram na quarta-feira que o vice-secretário de Estado, William Burns, vai participar das reuniões em Genebra, voltando atrás em relação à decisão anterior, que rejeitava conversas diretas com o Irã até que o país fizesse alguma concessão.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Liu Jianchao, disse que o governo aprova a decisão norte-americana e quer ver concessões de todas as partes.

"Aprovamos a decisão dos Estados Unidos", disse Liu em uma coletiva de imprensa, reproduzindo o frequente pedido chinês por uma solução negociada para a disputa. Ele também pareceu incitar o Irã a mostrar boa vontade.

"Também esperamos que todos os lados aproveitem as condições favoráveis que temos agora, se esforcem mais e, em particular, demonstrem flexibilidade para avançar no diálogo e nas negociações o mais cedo possível", afirmou.

(Por Chris Buckley)