CÂMBIO-Bovespa pressiona dólar, que sobe a R$1,600

quinta-feira, 17 de julho de 2008 16:09 BRT
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 17 de julho (Reuters) - A queda de mais de 3 por cento da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) evitou a baixa do dólar diante do real nesta quinta-feira.

A moeda norte-americana BRBY subiu 0,19 por cento, para 1,600 real. No dia anterior, o dólar já havia avançado 0,57 por cento. As duas altas, juntas, anularam a desvalorização que a taxa de câmbio acumulava em julho.

A Bovespa caminhou na contramão do mercado internacional, que via queda generalizada da percepção de risco e forte alta das principais bolsas da Europa e dos Estados Unidos.

Petrobras (PETR4.SA: Cotações) e Vale (VALE5.SA: Cotações), as duas maiores empresas do mercado paulista, eram as responsáveis pelo desempenho ruim da Bovespa. Elas eram influenciadas pelo terceiro dia seguido de queda do petróleo e pela baixa demanda pela oferta de ações da mineradora brasileira.

"Se a Bovespa estivesse positiva, o dólar teria se mantido muito próximo de 1,59 (real)", disse Carlos Alberto Postigo, operador de câmbio do Banco Paulista.

A queda da Bovespa anulava todo o ganho acumulado nos últimos três pregões. Segundo analistas, a venda de ações brasileiras por estrangeiros é uma das principais causas para a saída de recursos do país nos últimos meses.

O dólar operou em baixa antes da Bovespa acentuar a queda. A moeda refletia o cenário positivo no exterior e a expectativa de muitos agentes com o ingresso de recursos no país. A oferta de ações da Vale, mesmo com a procura menor do que o previsto, foi citada por vários agentes como um fator que tem atraído recursos para o país nos últimos dias.

Na metade do dia, o Banco Central realizou um leilão de compra de dólares no mercado à vista. Foi aceita uma proposta, segundo um operador, com taxa de corte de 1,5885 real.

(Edição de Renato Andrade)