ATUALIZA-VALE suspende operação na ferrovia Carajás após invasão

quarta-feira, 17 de outubro de 2007 13:59 BRST
 

(Texto atualizado com mais informações)

SÃO PAULO, 17 de outubro (Reuters) - A Companhia Vale do Rio Doce (VALE5.SA: Cotações) suspendeu as operações na ferrovia Carajás, que transporta minério de ferro de sua principal mina no país para o porto de São Luís, depois que manifestantes invadiram um trecho da linha férrea, infomou a empresa em comunicado.

"O último trem a passar na ferrovia, por volta das 10h45, foi apedrejado pelos manifestantes, levando a CVRD a suspender a circulação na EFC (estrada de ferro Carajás)", disse a nota.

A Vale citou a possibilidade de prejuízos financeiros devido à suspensão da exportação de minério com a paralisação da linha.

A empresa informou que são transportadas 250 mil toneladas de minério de ferro e outras cargas diariamente pela ferrovia.

De acordo com o comunicado, a invasão foi realizada por aproximadamente 200 manifestantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).

Não é a primeira vez que membros do grupo tomam a ferrovia e interrompem a operação. Há dez dias, depois de novas ameaças de invasão, a Vale conseguiu uma liminar na Justiça permitindo reforço policial para evitar novas invasões.

"A CVRD está comunicando a invasão à Justiça Federal para que sejam tomadas as medidas judiciais cabíveis, inclusive quanto à mobilização de força policial, para retirada dos manifestantes", informou a nota.

Além das composições de carga, a companhia opera um trem de passageiros na ferrovia que transporta 1.300 pessoas diariamente e passa por 23 municípios no Pará e no Maranhão.